085.BM.15 | PT

Urbanisticamente, o terreno encontra duas escalas distintas. A Norte, uma escala de edifícios de quatro e cinco pisos , a Sul pela interceção de uma via de acesso ao parque do Rossio, após a qual a escala muda para uma cércea de dois pisos e tipologia de moradia unifamiliar.

De modo a não existirem empenas planas e rígidas e tentando relacionar com as várias influências da envolvente, assumimos uma rotação dos pisos levando esse deslocamento a quatro alçados distintos e que provocam movimentos e jogos de sombra particulares.

Esta rotação permite fazer um jogo de vivências distintas na qual as orientações dos apartamentos vão sendo diferentes e com pontos de vista diferentes no contato com a paisagem envolvente.

O desenvolvimento do edifício acompanha no piso térreo o angulo que o lote descreve a nascente, iniciando a partir desse ponto as torções do corpo das habitações, assumindo-se o corpo das comunicações verticais como o elemento agregador e que fecha a frente de rua de uma forma regular mas qua através do seu material de revestimento, visualmente permeável, deixa perceber o desenvolvimento do edifício nos restantes alçados.

Projeto
Edificio Multifamiliar
Promotor
Privado
Arquitetura
João Abreu
Colaboração
João Vasconcelos
Bruno Soares
Fotografia / 3D

Ivo Tavares Studio

Área
950,00 m2
Localização
Amarante | Portugal
Estado
Construído
Ano

2015 – 2020